Produdos Tradicionais Portugueses 

biblioteca online

 

 

Parceria portuguesa para os solos  Sistema de Informação do Regadio Bolsa Nacional de Terras

Rede Rural Nacional 

 

dieta mediterranica logo

Agricultura biológica Guia de apoio às explorações agrícolas  Serviço de Acncelhamento Agrícola Tecnicos em Formação Regulamentada

 

 

Balcão Único

 

Certificação de Entidades Formadoras e Homologação das Ações de Formação

 

Listagem das Entidades Formadoras Certificadas por área temática

O Sistema de Certificação de Entidades Formadoras é regulamentado pela Portaria n.º 354/2013, de 9 de dezembro, e determinou para o efeito, que fosse elaborado um "Regulamento de Certificação de Entidades Formadoras", aprovado no Despacho n.º 8857/2014, de 2 de julho, em que estabelece as condições e procedimentos a aplicar às entidades formadoras de natureza publica ou privada, para acesso e exercício da atividade de formação profissional especifica setorial, nas áreas da agricultura das florestas, do agroalimentar do desenvolvimento rural.

Pretende-se, assim, agilizar os processos em apreço contribuindo para uma maior facilidade na instrução dos processos e promover e garantir um sistema eficaz de avaliação e o reconhecimento da capacidade e competências técnicas e pedagógicas das entidades formadoras, a qualidade das intervenções formativas procurando que a formação regulamentada pela DGADR/MAFDR atinja os objetivos formativos e de aprendizagem preconizados e possa contribuir para o desejado desenvolvimento agrário e rural.


Certificação de Entidades Formadoras

A certificação de entidades formadoras é solicitada e efetuada por área de formação, podendo envolver um curso, um grupo de cursos ou todos os cursos dessa área, segundo o nível dos destinatários, agricultores/produtores/operadores/trabalhadores, ou técnicos, nos termos do disposto nos diplomas de criação dos cursos ou em legislação de nível superior.
A certificação de entidades formadoras que pretendam realizar formação dirigida a agricultores/produtores/operadores/trabalhadores é realizada pelas Direções Regionais de Agricultura e Pescas onde se localize a sua sede social.
A certificação de entidades formadoras que pretendam realizar formação dirigida a técnicos é realizada pelos organismos centrais do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (MAFDR) aos quais estejam cometidas a atribuições de entidades certificadora para um dado curso, cursos ou áreas de formação.
A certificação efetuada por uma dada entidade certificadora regional (DRAP) é válida para todo o território nacional. A certificação efetuada por uma dada entidade certificadora central (organismo central do MAFDR) é igualmente válida para todo o território nacional.
O procedimento para a certificação de entidades formadoras deve ser realizado de acordo com o n.º 6 do art.º 2.º do “Regulamento de Certificação de Entidades Formadoras, de Homologação das Ações de Formação, de Acompanhamento e de Avaliação da Aprendizagem”, publicado em anexo ao Despacho n.º 8857/2014, de 9 de julho.

 

Taxas devidas pelos procedimentos

  • Formação dirigida a técnicos:
    No caso de ter que proceder a pagamentos à DGADR ao abrigo da Portaria n.º 148/2015, de 25 de maio, pode efetuar por:
    — Transferência bancária para o NIB 0781 0112 01120012480 48 e o envio do comprovativo para o correio eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar., ou
    — Fax, n.º 218442281, ou
    — Cheque enviado à ordem do IGCP – Instituto de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, I. P. e remetidos para a DGADR na Av. Afonso Costa, nº 3, 1949-002 Lisboa.
  • Formação dirigida a agricultores/produtores/operadores/trabalhadores:
    No caso de ter que proceder a pagamentos a uma Direção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) da área da sua sede social, ou do local onde vai realizar uma ação de formação, ou outros, deverá contactar essa Direção Regional e obter os dados para poder proceder ao pagamento.

 

 Área de Formação

Distribuição, venda e aplicação de produtos fitofarmacêuticos
Destinatários: Técnicos (alínea a) do artigo 3º do Despacho nº 666/2015, de 16 de janeiro).
Destinatários: Aplicadores especializados (alínea b) do artigo 3º do Despacho nº 666/2015 de 16 de janeiro).
Destinatários: Operadores de distribuição e venda e aplicadores, incluindo agricultores (alíneas c) e d) do artigo 3.º do Despacho n.º 666/2015, de 16 de janeiro).

 

Produção Agrícola Sustentável
Destinatários: (alínea b) do artigo 3º do Despacho nº 899/2015, de 16 de janeiro).
Destinatários: (alínea a) do artigo 3.º do Despacho n.º 899/2015, de 16 de janeiro).

 

Valorização Agrícola de Lamas
Destinatários: (n.º 1 do artigo 2º do Despacho nº 7162/2015, de 30 de junho).

 

Proteção Animal
Destinatários: Agricultores detentores de explorações pecuárias e tratadores, (alínea a) do artigo 3º do Despacho n.º 9485/2015, de 20 de agosto);
Destinatários: Transportadores de animais, condutores e ajudantes de transporte, (alínea b) do artigo 3º do Despacho n.º 9485/2015 de 20 de agosto);
Destinatários: Abegões, magarefes, operadores de linha de abate de aves e coelhos, pessoal responsável pelo abate de animais criados para produção de peles com pelo e responsáveis pelo bem-estar animal na linha de abate (alínea c) do artigo 3º do Despacho n.º 9485/2015 de 20 de agosto);


Hidráulica agrícola
Destinatários: (nº1 do artigo 2º do Despacho nº 10736/2015, de 28 de setembro).


Micologia
Destinatários: Técnicos (alínea b) do artigo 3º do Despacho nº 7161/2015, de 30 de junho).
Destinatários: Agricultores, trabalhadores agrícolas e rurais, coletores de cogumelos e outros ativos com interesse na fileira (alínea a) do artigo 3º do Despacho nº 7161/2015, de 30 de junho).


Bem Estar e Comportamento Animal, Educação Cívica, e Prevenção de Acidentes

Destinatários: Detentores de cães perigosos ou potencialmente perigosos (nº 1, do artigo 2º, da Portaria n.º 317/2015, de 30 de setembro).

 

Homologação das Ações de Formação

A autorização da realização de uma ação por determinada entidade formadora previamente reconhecida para o efeito, tem por objetivo a confirmação da adequação dos requisitos específicos da ação à aquisição ou aperfeiçoamento das competências necessárias e que são cumpridos os requisitos considerados fundamentais para garantir a qualidade da formação.
O procedimento para a homologação de uma ação de formação, deve ser efetuado de acordo com o disposto no art.º 3.º do “Regulamento de Certificação de Entidades Formadoras, de Homologação das Ações de Formação, de Acompanhamento e de Avaliação da Aprendizagem”, publicado em anexo ao Despacho n.º 8857/2014, de 9 de julho.

Formulários para a certificação de entidades formadoras e para a homologação das ações de formação

 

 

 logo agri fam  CAOF  uso eficiente da agua  sistema de  reconhecimento de regantes
 sir destaque2  Cartas Pery  NREAP  projeto BINGO