Produdos Tradicionais Portugueses 

biblioteca online

 

 

Parceria portuguesa para os solos
Sistema de Informação do Regadio
Bolsa Nacional de Terras

Rede Rural Nacional 

 

dieta mediterranica logo

Agricultura biológica Guia de apoio à criação de microempresas Guia de apoio às explorações agrícolas  Serviço de Acncelhamento Agrícola Tecnicos em Formação Regulamentada

 

 

Balcão Único

 

Informação Geográfica

 

Conceitos Técnicos

1. Temática WebSIG
Como funcionam os serviços geo, via web, WMS, WFS e WCS
Estes serviços são fornecidos por um servidor software responsável por responder a solicitações espaciais por um cliente através da rede. A resposta é fornecida em formato de arquivos XML, em estrutura Simple Object Access Protocol (SOAP), um padrão de comunicação especificado através de Serviços Web (Webservices).
O conteúdo da resposta pode variar de acordo com o protocolo utilizado:

  • Protocolo WMS — Responde em forma de imagens permitindo apenas leitura.
  • Protocolo WFS — Responde em forma de vetores, permitindo leitura e alteração.
  • Protocolo WCS — Gera arquivos no formato raster permitindo também leitura e alteração.

Os clientes podem ser software de processamento geográfico, livres ou adquiridos como Quantum GIS, ArcMap, Erdas e Envi ou simplesmente navegadores web permitindo o acesso a interfaces do tipo WebSIG.
A importância desses serviços na interoperabilidade dos sistemas WebSIG
O uso de tecnologias e ferramentas — baseado em serviços geográficos standard — é um fator muito importante para possibilitar a comunicação, partilha e utilização de dados e funções entre um sistema que está a ser desenvolvido e outros sistemas e programas de informação geográfica disponíveis no mercado.
Os padrões de serviços geo são especificados pelo Open Geospatial Consortium (OGC), organização não-governamental responsável pela definição de padrões de interoperabilidade entre sistemas de informação geográfica.
O que é um registo de metadados geoespaciais
Um registo de metadados geoespaciais é um arquivo de informações, normalmente um documento XML, que contém as informações relevantes de um dado.
Um registo de metadados geoespaciais corresponde a dados com extensão geográfica implícita ou explícita, utilizados para documentar recursos geográficos digitais, como:

  • Dados de coberturas terrestres;
  • Base de dados geoespaciais, etc.

O que é o XML
O XML é uma linguagem de programação para elaborar linguagens de marcação para necessidades especiais. A finalidade principal da eXtensible Markup Language (XML) é a de facilidade a partilha de informações através da internet.
O que são geoserviços
Geoserviços são funcionalidades que permitem que o utilizador possa aceder aos dados e aos metadados geoespaciais, através de protocolos de comunicação através da internet. Um exemplo é o Web Map Service(WMS), que define um mapa como representação de informação geográfica em forma de arquivo digital de imagens que podem  ser exibidas em ecrã. Normalmente os mapas produzidos pelos serviços WMS são uma imagem no formato PNG, GIF ou JPEG.
O que é um geóide
Um geóide é a forma da Terra, considerando a superfície formada pelo nível médio dos oceanos, sem a influência das marés e ventos.
O que é um elipsoide
Elipsoide é a representação matemática de uma superfície que se aproxima da forma da Terra, o geóide.
O que é um datum
Datum é um modelo de representação da Terra ou parte dela, podendo ser:
Datum planimétrico ou horizontal — É um sistema de coordenadas, determinadas a partir de um elipsoide de referência, orientado em relação a uma origem.
Datum vertical — Refere-se à superfície de referência utilizada para definir as altitudes de pontos da superfície terrestre. Faz-se o ajustamento das medições realizadas para definir a referência “zero” a partir de uma rede de marégrafos.
O que são sistemas de projeção cartográfica
Sistemas de projeção cartográfica são sistemas que realizam a conversão das coordenadas localizadas na superfície terrestre para coordenadas num plano de projeção. Desta forma, é possível representar formas de uma superfície curva numa superfície plana. Dela resultam fortes distorções nos polos. Já em trabalhos em áreas menores, como um município, usa-se muito a projeção transversa de mercator (UTM), nos respetivos fusos.

2. Sistemas de Projeção e Data Em Portugal
Sistema de Coordenadas Planimétricas na Cartografia Portuguesa
2.1. Datum Lisboa/Castelo de S. Jorge (CSJ)
2.1.1. Sistema Bessel-Bonne (BB)
Elipsóide: Bessel
Sistema de Projeção : Bonne
Origem do Sistema de Projeção: Ponto Central (PC)
Origem das Coordenadas Retangulares: Ponto central (PC)
Uma vez que as deformações devidas à projeção aumentam com a distância à origem (ou ao meridiano que passa pela origem) escolheu-se para origem da projeção e do sistema de eixos retangulares um ponto sensivelmente no centro do país, a que se chamou Ponto Central (PC).
Coordenadas do Ponto Central (PC)
φ =38º 40’
λ =8º 07’ 54.806’’
Isto é com a longitude do meridiano 1 grau a leste do CSJ.
Este ponto, na proximidade de Vila de Rei, não corresponde a nenhum ponto no terreno ficando a aproximadamente 2.936m do vértice geodésico de primeira ordem Melriça, no Azimute 4º 31’.
Os eixos retangulares foram obtidos por uma translação da origem (do CSJ para o PC). Os quadrantes são os mesmos que no Sistema Puissant-Bonne, isto é:

II III
I IV

Serviços Cartográficos que utilizam este sistema:
-Carta de Portugal na escala 1: 50 000 (IGP)
-Carta de Portugal na escala 1: 100 000 (IGP)
-Carta Geológica de Portugal na escala 1: 50 000
-Cartografia Corine Land Cover na escala 1: 100 000

2.1.2. Sistema Hayford Gauss Antigo (HGA)
Elipsoide Internacional (de Hayford) posicionamento no CSJ com coordenadas geográficas:
φ =38º 42’ 43.831’’
λ =9º 07’ 54.862’’
(só variando a longitude de 0.056’’, aproximadamente 2 m em longitude).

 logo agri fam  CAOF  uso eficiente da agua  sistema de  reconhecimento de regantes
 sir destaque2  Cartas Pery  NREAP  projeto BINGO