• DSC_0029.JPG
  • DSC_0114.JPG
  • DSC_0117.JPG
  • DSC_0119.jpg
  • IMG_4096.JPG
  • IMG_4099.JPG
  • IMG_4102.JPG
  • IMG_4111.JPG
  • IMG_4158.JPG
  • IMG_4174.JPG

title

 

Dieta Mediterranica logo


funcionaria s2


 

Biblioteca online da DGADR

 

 

 


logo mafdrt

Cartas de Pery - Introdução

 

As Cartas Agrícolas dos Finais do Século XIX

 

cartas pery

As Cartas Agrícolas, designadas por Cartas Pery, que se apresentam em formato imagem neste site, correspondem às primeiras “Cartas Agrícolas” em território nacional e cujo trabalho de levantamento decorreu duma proposta de Pedro Victor da Costa Sequeira de 11 de janeiro 1882 ao Conselho de Agricultura de Beja, tendo sido encarregado da sua execução o então capitão Gerardo A. Pery. Em maio do ano seguinte já eram apresentadas ao Conselho a Carta Agrícola, a Carta Agrícola-Mineral e a Memória Estatística do concelho de Beja.

A “Carta Agrícola” foi oficializada e alargada a todo o país por decreto de 18.11.1886, tendo sido criada para o efeito uma Direção de Serviços no âmbito da Direção Geral de Agricultura (Ministério das Obras Públicas), conforme Decreto de 25 de novembro de 1886. Os seus serviços foram regulamentados por Portaria de 18 de janeiro de 1887, estando inicialmente os trabalhos da “Carta Agrícola” a cargo da 3ª Secção dos Serviços Geodésicos e Topográficos e depois (1 de dezembro de 1892) integrados na Repartição dos Serviços Agronómicos.

Em 1901 as operações de levantamento da Carta Agrícola ficaram a cargo de uma direção especial, dependente da Direção Geral de Agricultura, denominada Direção dos Serviços da Carta Agrícola e posteriormente à Repartição de Construções Agrícolas e de Defesa e Ocupação do Solo da Direção Geral dos Serviços Agrícolas serviço do qual a DGADR recebeu este património.

Em conjunto, com o Departamento de Geografia e Planeamento Regional da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a DGADR tem vindo a gerir e a manter este espólio documental de grande interesse para a investigação histórica, nomeadamente para o estudo da história económica portuguesa dos finais do século XIX e início do século XX.